29 julho 2006

TERRA E LIBERDADE.


Não existe país do mundo com tantos latifúndios na História da humanidade como o Brasil. Dos proprietários rurais, 1,9% é dono de 54,64% das terras agricultáveis. É o país com maior concentração de terras do mundo, e este sistema que gera o êxodo é o principal causador da violência nas grandes cidades. O conteúdo da violência possui origens nos milhões que fogem para as cidades e ficam sem o abrigo do Estado, que se preocupa mais em financiar o grande Capital financeiro e o Agro-negócio, novo nome , nova máscara do latifundiário. Os perdões das dívidas dos grandes proprietários de terra é comum entre todos os governos da nossa "república dos sem-vergonhas". O governo Lula se apoiou politicamente nos votos da bancada ruralista(180 votos) em troca da sustentabilidade de sua política de favorecimentos do Capital financeiro. A reforma-agrária, sob a batuta de Lula, não passou de retórica e a violência no campo brasileiro cresce na medida que não é encaminhada uma política séria de distribuição e financiamento para os sem-terra. A justiça brasileira, cega e sem tato, privilegia a manutençaõ desta realidade , onde processos de desapropriação, podem levar até 15 anos, mesmo que os processos sejam referentes à terras improdutivas. A lei não é neutra nem sagrada, segue no Brasil atendendo aos interesses de classe , e como já sabemos, não é a classe trabalhadora que se beneficia com ela. Os meios de comunicação em consonância com o modelo econômico, pois se beneficia com ele, atende às expectativas da ordem econômica e social e possui historicamente, relações libidinosas e asquerosas com o poder . Cabe aos meios de comunicação anestesiar corações e mentes com notícias , programas e publicidades que escondem e manipulam descaradamente informações a respeito da verdadeira realidade do povo brasileiro.
Mais do que votar em homens , precisamos saber que programas defendem, pois eles , ao contrário do que se imagina, são cumpridos criteriosamente, pois são eleitos pelas plataformas econômicas elaboradas pelo grande Capital financeiro e pela burguesia brasileira, que como cachorrinhos, abanam o rabo em baixo das mesas onde se refastelam em banquetes os "donos do mundo", em busca de migalhas e de associação nos negócios. A questão da terra no Brasil não pode ser enfrentada por Lula e Alkcimim, pois representam ,em seus programas, a continuidade.
A questão da terra no Brasil também diz respeito àqueles que moram nas cidades, que sem planejamento , não permitem vida digna à maioria. Terra para quem trabalha significa o assentamento de 20 milhões de pessoas no campo, significa preços menores dos alimentos pois não estaría a agricultura , submetida à monocultura e a política agroexportadora, significa a diminuição do fluxo de pessoas à caminho das grandes cidades, onde o fascínio urbano é uma farsa produzida pelos meios de comunicação. Temos que ter o direito à liberdade de apontar onde estão os erros da política de integração à Globalização econômica praticada pelos dois últimos governos, do PT e do PSDB, a liberdade de não se submeter as mentiras com uniformes de verdade apontadas para a população brasileira, produzidas pelo maior partido político da América Latina, a Rede Globo , pois não se resolve o problema da exclusão com projetos como o "criança esperança", ou mesmo outros projetos assistencialistas praticados por governos. Analgésico atenua os efeitos mas não curam doenças . As origens destas "doenças"estão amplamente diagnosticadas, riquezas o país possui em abundância . Falta distribuir a terra, a renda e o Capital.
Assista - "Terra para Rose" e " O sonho de Rose, dez anos depois." -1500 famílias que ocuparam terra improdutiva e balanço , 10 anos após sobre o que foi feito para resolver a questão agrária no Brasil. Ganhador de 12 e 9 prêmios nacionais e internacionais, respectivamente aos dois filmes.
Escute -" Funeral de um Lavrador" - poema de João Cabral de Mello Neto musicado por Chico Buarque.

4 comentários:

Claudya Gisele disse...

Oi, amigo. fiquei surpresa com o teu comentário em meu blog. Achei que ninguém soubesse ir lá , uma vez que ainda tou aprendendo a mexer nisso. Ainda falta clocar lá os tamanhos dos quadros e os preços. Mas muito obrigada pela visita. Vou ler teu blog agora com calma.
Qto a seres professor, parabéns. Pior sou eu que tou desempregada. A Internet é que me ajuda levantar um pouco o astral. Mas parabéns pela linda profissão. Beijinhos e volte sempre.
www.flogao.com.br/claugisele
e
www.flogao.com.br/dicasclau
e
Gisele Claudya Portugal ( Orkut)

Carlos Alexandre Henrique disse...

Muito bom o artigo professor!

Vozes da América disse...

Camarada,
Excelente radiografia nas entranahs da injustiça agrária brasileira. Mais uma vez, e como sempre, você foi muito feliz em conjugar idéias e palavras que expressam a sanha desaforada dessa elite que parece não ter o menor medo de perder os 500 anos de poder.
Abraços, seu irmão, Rooseveltt.

Marcelo disse...

O teu "olhar" sobre a questão da terra no Brasil não é radiografia é ressonância completa. Parabéns.